Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


Texto sem enrolação

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 

Discutir formas de iniciar narrativas e desenvolver técnicas de construção de textos. 

Ano(s) 
Material necessário 

Reportagem da Veja:

Desenvolvimento 
1ª etapa 

Introdução

Como afirma a reportagem de VEJA, prender a atenção de um leitor logo nas primeiras linhas de um texto é tarefa árdua. Nada garante que você vá chegar até o fim da página, a não ser a habilidade desta redatora em convencê-lo de como o assunto em pauta é adequado para seus alunos. Eles irão saber, entre outras coisas, que todo texto é dirigido a um interlocutor específico e que argumentar com exemplos é mais do que "encheção de lingüiça".

Persuasão planejada
Apresente aos alunos o conceito de dissertação - ordernar conceitos e idéias a fim de alcançar conclusões que têm o objetivo definido de convencer alguém. Mostre que dissertar é algo comum no cotidiano e não uma atividade restrita ao mundo escolar. Todo mundo disserta o tempo todo. O "garotão" tenta convencer a "gatinha" a "ficar" com ele, o político tenta persuadir o eleitor e conquistar seu voto. Por outro lado, a argumentação deve ser adequada ao perfil social e psicológico de quem se quer convencer.

Argumentos exemplares
Leia com os estudantes o material de VEJA. Em seguida, peça para que tentem explicar de que forma ela busca convencer seu leitor de que "o bom início é aquele que é surpreendente". A estratégia adotada é a exemplificação, combinada com os comentários tecidos a partir de cada exemplo. Os inícios de textos narrativos famosos apresentados são tão díspares uns dos outros, que parece inevitável chegar à conclusão de que "os melhores começos não cabem nos manuais". Proponha, então, uma reflexão sobre o modo como a exemplificação é usada pelos alunos em diferentes situações do dia-a-dia em que precisam dissertar sobre alguma coisa. Tente levá-los a perceber que esse recurso só faz sentido quando realmente tem função argumentativa e não serve apenas para "encher lingüiça".

Leitor ideal
Comente com a turma que narrar também é uma atividade que vai além das redações. Quando se conta uma piada ou o que aconteceu numa viagem, por exemplo, obrigatoriamente se produz uma narrativa. O texto narrativo ficcional é um universo criado pelo autor, e tem de ser apresentado de alguma forma ao leitor - daí a relevância das primeiras linhas. Mais do que surpreendente, a abertura de uma narrativa tem de ser "pedagógica" e instruir o leitor sobre o que o espera no universo que ele pretende penetrar, dando-lhe a opção de prosseguir com a leitura ou não. Para o escritor italiano Umberto Eco, as primeiras páginas são como um "obstáculo penitencial", capaz de criar o "leitor adequado para as páginas seguintes". Eis um bom tema para discutir com seus alunos: para quem eles escrevem quando você lhes solicita um texto narrativo?

Conclusão
Encerre as discussões perguntando aos alunos se a argumentação da reportagem é bem-sucedida ou não, levando-se em conta a quem se destina o referido texto. Como é esse leitor? Ele é especializado no assunto "narrativas" ou trata-se de um público genérico? A linguagem e o recurso da exemplificação são adequados a ele? As conclusões servirão para mostrar como o perfil do leitor é fundamental na elaboração de uma argumentação.

Atividades práticas
1. Proponha aos alunos que elaborem textos narrativos a partir dos vários inícios apresentados na reportagem. Cada um deve escolher o início que mais lhe agrada. Não deixe de fazer leitura e comentário para a classe dos textos produzidos.

 

2ª etapa 

Divida a turma em grupos e peça que cada um traga para a aula um determinado jornal. Cada equipe deve tentar estabelecer o perfil do leitor a que é destinado o jornal a partir do nível de linguagem, da diagramação, do encaminhamento dos assuntos e da argumentação. É imprescindível que os jornais sejam diferentes entre si (publicações locais, de circulação nacional ou de áreas específicas).

Veja também:

Bibliografia
Pós-escrito a O Nome da Rosa
, Umberto Eco, Ed. Nova Fronteira, fone: (21) 2131-1111
Organização do Texto Dissertativo, João Hilton Sayeg-Siqueira, Selinunte Editora

 

Autor Nova Escola
Créditos:
Ulisses Infante
Formação:
Autor de livros didáticos

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.