Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


Ritmos brasileiros

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 
  • Conhecer as diferentes nuances que compõem o ritmo musical (duração, intensidade e tonalidade);
  • Interpretar corporalmente os diferentes ritmos brasileiros;
  • Criar ritmos e expressões corporais com base nas canções escolhidas. 
Conteúdo(s) 

A dança, o ritmo e suas nuances: forte e fraco, simétrico e assimétrico, agudo e grave e rápido e lento.

 

Ano(s) 
Tempo estimado 
3 aulas
Material necessário 
  • Instrumentos musicais (tambor, berimbau, pandeiro, flauta, atabaque etc.);
  • CDs de músicas brasileiras (samba, maracatu, frevo etc.);
  • DVDs de apresentações musicais e de dança;
  • Aparelhos de som e de DVD. 
Desenvolvimento 
1ª etapa 

Depois de realizar um levantamento sobre os ritmos e as danças mais presentes na cultura do local, da escola e da comunidade, retome-os numa roda de conversa. Apresente aos alunos dois ritmos ou duas danças que fazem parte desse universo. É interessante trabalhar com exemplos bem diferentes nas variáveis musicais - letra, melodia, intensidade, tonalidade etc. Leve para a sala fotos de alguns instrumentos utilizados nessas manifestações artísticas e, em seguida, exiba fotos e vídeos de espetáculos pertencentes aos temas selecionados. Deixe que os alunos escolham um. Com base no eleito por eles, proponha a realização de uma vivência rápida. Sugira uma interpretação livre da música e faça algumas paradas e perguntas do tipo: como é caracterizado esse ritmo na nossa cultura? De que manifestação da dança estamos falando? Quais os instrumentos utilizados? Como são os movimentos dessa dança? Vocês conhecem esse ritmo? Como podemos descrevê-lo?

 

 

2ª etapa 

Tenha em mãos alguns instrumentos musicais utilizados na dança escolhida pelos estudantes. Eles serão convidados a se expressar corporalmente com base nas nuances de sons e ritmos sugeridas pelos instrumentos: graves e agudos, fortes e fracos, rápidos e lentos e simétricos e assimétricos. Estimule a garotada a perceber a relação entre eles e os tipos de movimento e de expressão corporal. Exemplo: quais os movimentos que se relacionam com os sons fortes? Como nos expressamos (dançamos) quando o ritmo é lento? Como dançar em músicas com progressões bastante assimétricas? 

 
3ª etapa 

Divida a sala em grupos de quatro ou cinco alunos e peça que cada um deles construa uma minicoreografia com base nas vivências realizadas. Deixe os instrumentos, o aparelho de som e os CDs ao alcance de todos para que possam explorar movimentos em função da música. Sorteie um ou dois grupos para apresentar as coreografias.

 

 

Avaliação 

Numa roda de conversa, verifique se a turma identifica as nuances que compõem os ritmos das diferentes danças e se compreende as características das manifestações da cultura local. Em termos de conteúdo, os alunos devem saber que existem diferentes formas de expressão corporal para cada um dos ritmos e que há coerência entre os movimentos e as nuances de ritmos das diferentes danças.

 

Flexibilização 
1ª etapa 

Flexibilização de tempo 
Acrescente para todos a experiência tátil de sentir as vibrações. Proponha que coloquem as mãos sobre as caixas de som e distingam o tempo musical por meio de vibrações mais fortes e mais fracas. Dê atenção individual para ajudar o aluno surdo na atividade. Assim ele poderá dançar sentindo as vibrações e não apenas copiando os gestos dos demais.

 

Flexibilização de recursos
As imagens, tanto de fotos como de vídeos, facilitam a compreensão por parte dele. O intérprete de Libras pode transmitir as discussões e os comentários sobre as imagens.

 

2ª etapa 

Flexibilização de conteúdos 
As associações são priorizadas pelo movimento e não pelo som. Inclua questões que valorizem a identificação visual.

 

Flexibilização de recursos 
O aluno surdo pode receber as explicações em Libras. Utilize imagens e cenas de dança.

 

3ª etapa 

Flexibilização recursos 

Para marcar os passos, utilize gestos e conte o tempo com palmas. Observando os colegas ouvintes e com a ajuda deles, o aluno surdo dança também.

 

Flexibilização de tempo
A atividade pode ser repetida ou reforçada na sala de recursos no contraturno.

 

Deficiências 
Auditiva
Créditos:
Fabio D'Angelo
Formação:
Coordenador pedagógico do Instituto Esporte e Educação, em São Paulo, SP, e selecionador do Prêmio Victor Civita - Educador Nota 10
Créditos:
Patrícia Galvão da Silva Jota
Formação:
Professora da EE Governador Barbosa Lima, em Recife, PE.
Créditos:
Selma Muniz da Silva Xavier
Formação:
Professora da EE Governador Barbosa Lima, em Recife, PE.
Créditos:
Tarcila Azevedo Mendonça
Formação:
Professora da EE Governador Barbosa Lima, em Recife, PE.
Autor Nova Escola

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.