Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


Problemas de transformação de medidas de tempo

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 

Resolver questões que envolvam a duração de eventos e exijam a transformação de medidas de tempo. Faça uma sondagem para avaliar em quais situações cotidianas o aluno nota noções sobre o tempo. 

Conteúdo(s) 

Cálculo de duração de eventos.

 

Ano(s) 
Tempo estimado 
8 aulas
Material necessário 
  • Lápis;
  • Papel;
  • Cópias da história usada na 5ª etapa.
Desenvolvimento 
1ª etapa 

Oriente as crianças a estabelecer relações entre horas e minutos. Quantos minutos tem uma hora? É imprescindível levá-las a compreender que não é possível somar horas a minutos, muito menos subtrair: é preciso fazer conversões.

 

2ª etapa 

Proponha que cada aluno marque em uma folha o horário de dormir e de acordar. Deve ser feito o mesmo com o início e o término do café da manhã e com os horários em que os estudantes saem de casa e chegam à escola.

3ª etapa 

Este é o momento de calcular a duração das atividades rotineiras. Na mesma folha em que anotou os horários, cada estudante deve registrar quanto tempo ele passou dormindo, quanto levou para tomar café da manhã e gastou no trajeto de casa à escola.

4ª etapa 

Reúna as crianças em duplas para que elas conversem sobre suas resoluções e refaçam os cálculos se houver necessidade.

5ª etapa 

Proponha que os estudantes, individualmente, calculem a questão da história abaixo. Observe quais são as estratégias que cada um utiliza. Em casa, Pedro conversa com seu pai:


- Pedro, se apresse! O jogo vai começar
às 16 horas!
- Eu odeio futebol, pai!
No estádio, o papo continua:
- Pai, quero ir ao banheiro.
- Mas o jogo acabou de começar!
Não dá para esperar até o intervalo?
- E quando vai ser isso?
- Entre o primeiro e o segundo tempo!
O jogo tem dois tempos de 45 minutos.
E um intervalo de 15 minutos.
- Que horas vai acabar?

6ª etapa 

Recolha o material e analise as estratégias encontradas pelos estudantes para solucionar o problema. Eleja as dificuldades mais comuns e coloqueas em discussão no quadro. No fim desta etapa, sistematize as informações levantadas pela turma, organizando um cartaz que possa ficar exposto na sala de aula e à disposição das crianças sempre que elas quiserem consultá-lo.

Avaliação 

Proponha aos estudantes uma série de questões que envolvam o cálculo de tempo. Atente para a importância de variar a incógnita. Exemplo 1: apresente para a turma um problema em que, depois de informados sobre o horário inicial de uma atividade e quanto tempo ela vai durar, desafie os alunos a responder qual seria o horário em que ela terminaria. Exemplo 2: sabendo-se o horário inicial e final de uma visita da turma a um museu, qual seria a duração do passeio? As crianças precisam colocar em prática os saberes adquiridos e destacados no cartaz. Com aquelas que não chegarem aos resultados corretos, retome as relações entre horas e minutos.

Flexibilização 
Inclua cronômetro, despertador, relógio com números em relevo.

Antecipe esta atividade junto ao AEE para que o estudante portador de deficiência visual tenha melhores condições de aprimorar ou adquirir noções sobre funcionamento das horas.

1ª etapa 
Proponha a marcação de horas e minutos em diferentes atividades. Enquanto o grupo vê as horas no relógio da classe, este aluno pode manusear seu relógio e identificar o horário marcado e assim acompanhar o passar do tempo. Lance desafios com o uso do cronômetro e do despertador. Podem ser atividades dentro ou fora da sala de aula. Marque em uma tabela os horários de início e fim dessas atividades, o que já será um preparo para a próxima etapa. Auxilie o aluno para fazer o mesmo registro em braile.

2ª etapa 
Peça auxílio da família para o preenchimento dessa tabela. Ela deve ser transcrita em braile para o aluno ter acesso à leitura das informações.

3ª etapa 
Deixe o aluno manusear seu relógio para realizar seus cálculos. Preveja um tempo maior para ele realizar essa atividade.

5ª etapa 
Peça auxílio ao AEE e apresente a história contada em áudio. Utilize fone de ouvido e deixe que a escute em sala de aula. Se necessário, apresente os problemas da história transcritos em braile.

6ª etapa 
Novamente com a ajuda do AEE, transcreva esse mesmo cartaz para o braile e crie condições para que o acesso do aluno com deficiência visual a essas informções seja constantemente facilitado e estimulado.
Deficiências 
Visual
Autor Nova Escola
Créditos:
Sandra Martins
Formação:
Professora da EMEF Sylvio Romero, em São Caetano do Sul, SP

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.