Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


Pontuação nos discursos

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 
  • Analisar o modo de introdução do discurso do personagem na fala do narrador: discurso direto e indireto.
  • Constituir um repertório de marcas gráficas.
  • Reconhecer as diferenças de efeitos de sentido no uso dos discursos direto e indireto.
Conteúdo(s) 

Pontuação nos discursos direto e indireto.

 

Ano(s) 
Tempo estimado 
5 aulas
Material necessário 

Cópias de cinco textos de um mesmo gênero (contos, crônicas, lendas ou fábulas) que utilizem de maneiras variadas o discurso direto (com aspas, travessão, dois-pontos, parágrafo) e o indireto (com recursos diversos para contar o que diz o personagem).

Desenvolvimento 
1ª etapa 

Forme duplas e distribua dois textos. Eles devem mostrar maneiras diferentes de apresentar a fala dos personagens (pelo discurso direto e pelo indireto). Discuta as obras dos autores, seu estilo e as características do gênero. Dê alguns minutos para que todos leiam individualmente o material. Em seguida, diga que notem como cada autor organizou o discurso e produziu efeitos utilizando a pontuação para construir o sentido.

 

2ª etapa 

Peça que observem qual diferença há entre os textos em relação aos discursos direto e indireto. Em qual das maneiras as reações do falante são retratadas com mais fidelidade? Qual jeito de contar a história deixa o leitor mais distante das reações?

3ª etapa 

Retome os dois textos e peça que os estudantes identifiquem as marcas de 1ª pessoa e de 3ª pessoa, relacionando-as com seus efeitos de sentido. Diga que os alunos destaquem com lápis coloridos as formas de representar as falas dos personagens. A intenção é que percebam a presença no discurso direto de verbos em 1ª pessoa (quando o autor reproduz literalmente a fala do personagem) e que no discurso indireto os verbos estão em 3ª pessoa (e o narrador conta o que o personagem falou).

4ª etapa 

Levante a discussão sobre as diferentes possibilidades de marcar no texto o discurso direto: dois-pontos, aspas, parágrafo e travessão. Apresente mais dois textos para que possam observar como outros autores os utilizaram.

5ª etapa 

Apresente ainda um novo texto que mostre diferentes maneiras de o travessão indicar o discurso do personagem: no início da frase (por exemplo, em - Oi, tudo bem?), no meio dela ("[...] - ele perguntou, e continuou - [...]) ou no fim ([...] - Samuel falou). Peça que façam a mesma análise com os outro sinais. Organize com o grupo o registro do conhecimento construído por meio da observação, discussão e análise dos textos estudados.

Avaliação 

É hora de os alunos aplicarem o que foi aprendido no estudo dessa sequência. Organize atividades individuais de análise de pontuação de textos e depois discuta coletivamente, fazendo intervenções específicas. Observe também se usam esses recursos de pontuação nas próximas produções de texto.

Flexibilização 

Para deficiência auditiva

Para que alunos com deficiência auditiva possam participar desta sequência didática, o primeiro passo é ter cópias dos textos para que todos acompanhem a leitura. Disponha a turma em duplas, de maneira em que o aluno surdo seja acompanhado por uma criança bastante concentrada e com expressividade gestual. Numa primeira leitura peça para que grifem de cores diferentes os trechos em que ocorre o narrador e os trechos em que ocorrem falas ou pensamentos de personagens.

Em seguida, peça que listem as personagens e que façam a leitura dramatizada, encenando a história e utilizando mímica. Garanta a participação do estudante com deficiência auditiva.

Durante a leitura dramatizada, faça com que todos verifiquem os discursos utilizados e solicite para que marquem o discurso direto e o discurso indireto em cores diferentes. O uso do travessão como marca do discurso direto deve ser apresentado para a criança surda, explicando-se que para mostrar o diálogo na escrita empregamos o travessão (identificado pelo símbolo). Peça que as duplas observem os diferentes efeitos do discurso direto e do discurso indireto nas narrativas. Questione a turma: qual discurso utilizado traz mais vida às personagens? Depois de discutirem oralmente as diferenças de sentido e de efeito dos discursos com a turma e garantir que tenham grifado os textos, anote todos os apontamentos no quadro, para acompanhamento do aluno com deficiência auditiva.

Para deficiência intelectual

  • Se o estudante ainda não dominar a leitura, faça dupla com ele ou o coloque com um colega mais competente. Leia alguns diálogos marcando bem a entonação de voz do personagem e peça que acompanhe sua leitura seguindo as palavras e pontuações com o dedo.
  • Peça que, em casa, o aluno memorize alguns diálogos para apresentar para os colegas.
  • Dê ao aluno uma legenda com essas pontuações e peça que circule-as no texto.
Deficiências 
Auditiva
Intelectual
Créditos:
Ione Aparecida Cardoso Oliveira e Regina Célia dos Santos Câmara
Formação:
Assessoras técnico-educacionais da Secretaria Municipal de Educação do município de São Paulo, com base em atividades do Guia de Planejamento e Orientações Didáticas para o Professor do 4º Ano, do Programa Ler e Escrever
Créditos:
Gizele Caparroz de Almeida
Formação:
Professora de Língua Portuguesa do Fundamental II e do Ensino Médio no Colégio Sidarta, em Cotia, SP
Autor Nova Escola

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.