Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


Os motivos da desigualdade

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 

- Abordar as definições de classes sociais;
- Analisar os fatores que expressam desigualdade social;
- Elaborar um olhar crítico sobre a diferenciação e desigualdade presentes na sociedade.

Conteúdo(s) 

As abordagens sociológicas do conceito de classe social.

 

Ano(s) 
Tempo estimado 
3 aulas
Material necessário 

 Cópias da reportagem “Cuba: é proibido prosperar” (VEJA 2346, 8 de novembro de 2013)

Desenvolvimento 
1ª etapa 

Pergunte aos alunos o que eles entendem por desigualdade social. Questione: todas as pessoas têm a mesma condição de vida? Quais são as mudanças?

O objetivo da aula é explicitar os conceitos de diferença e desigualdade. No entanto, vale iniciar a discussão lembrando o que foi discutido na última aula referente os aspectos positivos das diferenças presentes em nossa sociedade.

Leia o seguinte texto com os alunos:

 

Da diferença à desigualdade

Somos mesmo muito diferentes. E podemos considerar isso uma coisa boa! Mas a diferença começa a ficar complicada quando vira desigualdade.

A desigualdade social é uma das que mais nos incomodam. Por que algumas pessoas são riquíssimas, enquanto outras mal têm o que comer? Isso não é injusto?

E a desigualdade de gênero, entre homem e mulher? Muita coisa tem mudado, mas ainda hoje as mulheres ganham menos do que os homens - e muitas vezes, quando voltam pra casa, enfrentam uma segunda jornada de trabalho: cuidando dos afazeres domésticos, sem a ajuda do companheiro!

E temos também a desigualdade racial: a situação dos negros no Brasil não melhorou muito desde a abolição da escravidão. Eles continuam sendo os mais pobres da nossa população, e junto com isso surgem outros problemas: a falta de acesso aos estudos e à universidade; os estereótipos negativos, ligados à criminalidade; a violência da polícia, enfim. O racismo aparece de várias formas.

Mas de várias formas também aparecem as lutas contra as desigualdades: movimentos, coletivos, organizações, sindicatos. Junto aos seus iguais, os oprimidos lutam. Porque queremos uma sociedade de pessoas diferentes, mas com igualdade de condições de vida!

 

 

Após a realização da leitura, reflita sobre:

- desigualdade de gênero - comece pedindo às alunas uma breve descrição dos afazeres domésticos. Atividades como lavar louça, limpar a casa, cuidar de determinados familiares na ausência de outras pessoas responsáveis. Faça a mesma pergunta aos alunos. Explicite a existência da divisão sexual do trabalho ainda nos tempos atuais.

- desigualdade racial - Leia esta matéria sobre um recente caso de racismo contra o jogador de futebol Yaya Touré na Rússia. Traga esta discussão para a realidade brasileira diante da posição social do negro em nossa sociedade, visto os cargos de trabalho e o acesso às universidades públicas. O objetivo é proporcionar uma reflexão sobre as manifestações de racismo presentes nas diversas esferas da vida. A música intitulada Todo camburão tem um pouco de navio negreiro do grupo O Rappa pode ser utilizada para iniciar o debate sobre o tema.

Faça com que os alunos exponham suas ideias para o restante da sala.

2ª etapa 

Escreva no quadro a seguinte frase do pensador Karl Marx (1818-1883):

“A história de todas as sociedades tem sido a história da luta de classes”

Apresente à turma as seguintes questões:

1) Vivemos num mundo de igualdade de condições?
2) Diante dos vários espaços de sociabilidade, todos têm acesso aos mesmos bens materiais?
3) O que legitima uma pessoa ter mais dinheiro do que outras?

Para isto, leve em consideração o conceito de classe social para Karl Marx:

"Na medida em que milhões de famílias camponesas vivem em condições econômicas que as separam umas das outras, e opõem o seu modo de vida, os seus interesses e sua cultura aos das outras classes da sociedade, estes milhões constituem uma classe. Mas na medida em que existe entre os pequenos camponeses apenas uma ligação local e em que a similitude de seus interesses não cria entre eles comunidade alguma, ligação nacional alguma, nem organização política, nessa exata medida não constituem uma classe" (Karl Marx, O 18 Brumário de Luis Bonaparte)

Vale lembrar que a diferenciação intelectual foi utilizada durante vários momentos da história para legitimar todas as sociedades de classe através da separação entre pensadores e executores. Isto ocorreu mesmo antes do capitalismo. Se por um lado se encontra uma classe que possui os meios de produção, por outro, há outra classe que detém a força de trabalho.

"[Homem] livre e escravo, patrício e plebeu, barão e servo, burgueses de corporação e oficial, em suma, opressores e oprimidos, estiveram em constante oposição uns aos outros, travaram uma luta ininterrupta, ora oculta ora aberta, uma luta que de cada vez acabou por uma reconfiguração revolucionária de toda a sociedade ou pelo declínio comum das classes em luta." (Karl Marx, Manifesto do Partido Comunista)

Nas sociedades de tipo capitalista a forma principal de conflito ocorre entre suas duas classes sociais fundamentais: a burguesia versus o proletariado. É diante da contradição proveniente da existência de diferentes classes sociais que as desigualdades se consolidam em nossa sociedade.

 

Avaliação 

Divida a sala em grupos de 4 pessoas. Reflita sobre as desigualdades sociais presentes em nossa sociedade a partir da leitura do Manifesto do Partido Comunista, de Karl Marx. A partir disto, faça uma dissertação sobre a distribuição de renda no Brasil e como isso afeta na construção do povo brasileiro.

Autor Nova Escola
Créditos:
Rafael Beverari
Formação:
Sociólogo, mestrando na Universidade de São Paulo (USP)

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.