Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


A origem e o significado do Dia do Trabalho

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 
  • Compreender as origens do Dia do Trabalho e seu significado social e histórico. 
  • Debater a Era Vargas e o trabalho no Brasil atual.
Conteúdo(s) 

A História do Trabalho no Brasil.

Ano(s) 
Tempo estimado 
Três aulas.
Material necessário 

Computador ligado à internet, revistas, tesoura e cola, cartolina para a confecção de cartazes.

Desenvolvimento 
1ª etapa 

Introdução 
Primeiro de maio é o Dia do Trabalho. No Brasil e em alguns países do mundo é um feriado nacional. Um dia dedicado a festas, passeatas e reivindicações dos trabalhadores. Mas como teria surgido o Dia do Trabalho?

 Em 1886, na cidade de Chicago, nos Estados Unidos, milhares de trabalhadores foram às ruas reivindicar melhores condições de trabalho. Dentre as principais reivindicações estavam a redução da jornada de de 13 para 8 horas, melhores salários, descanso semanal remunerado e um período anual de férias. Nesse mesmo dia ocorreu no país uma greve geral de trabalhadores. Os conflitos com a polícia se tornaram constantes. Oito operários morreram nesses embates. Muitos trabalhadores foram presos e alguns foram enforcados depois de um julgamento injusto, em que foram acusados de liderar as manifestações que tiveram início no dia primeiro de maio. 

Em 4 de maio de 1886, novas manifestações tomaram conta das ruas de Chicago. Desta vez, morreram 12 trabalhadores e dezenas de pessoas ficaram feridas.

A escolha da data do primeiro de maio foi feita pela Segunda Internacional Socialista, reunida em Paris, em 1889. Foi uma homenagem aos trabalhadores mortos pela repressão policial nos Estados Unidos.

No Brasil, o primeiro de maio é comemorado desde o ano de 1925, por decreto sancionado pelo presidente da república Artur Bernardes. De lá para cá, a data foi comemorada de diversas formas. Em 1940, o presidente Getúlio Vargas anunciou o novo salário mínimo. Em 1941, a data foi utilizada para marcar a criação da Justiça do Trabalho, que visava resolver os conflitos existentes entre os trabalhadores e seus patrões. Hoje, a data perdeu um pouco do caráter reivindicativo. No feriado, geralmente há festas organizadas pelas principais centrais sindicais do país.

Organize os alunos em grupos para pesquisarem sobre a origem do Dia do Trabalho nos Estados Unidos. Solicite a eles que expliquem como se dava o trabalho até o século 19 nesse país e na Europa. Eles descubrirão que não havia limite de horas de trabalho, inexistia o descanso semanal e as férias remuneradas. Também não havia a previdência social, entre outros direitos dos trabalhadores de hoje.

Após a pesquisa, peça aos alunos que realizem cartazes sobre o trabalho daquela época. Eles podem conter imagens sobre os tempos da Revolução Industrial do século 18 e também sobre a produção industrial no século 19.

Em seguida, proponha aos alunos que mostrem seus cartazes e expliquem à classe como o trabalho era realizado naqueles tempos e como foi a trajetória de reconhecimentos dos direitos dos trabalhadores ao longo do tempo.

2ª etapa 

Reúna a sala em um círculo e instigue os estudantes a refletirem sobre os direitos dos trabalhadores no Brasil. Explique a eles que a situação brasileira não era muito diferente daquela vivida em outros países do mundo até a década de 1930. Naquele momento apareceu no cenário político nacional a figura de Getúlio Vargas, que foi muito importante na criação das leis trabalhistas. Solicite aos alunos que pesquisem sobre a época de Getúlio. Pergunte à garotada por que Getúlio era chamado de "Pai dos Pobres"? Foi ele quem criou o Ministério do Trabalho e as primeiras leis trabalhistas. Em 1931, no entanto, Vargas seguindo o modelo do ditador fascista italiano Benito Mussolini, criou a Lei de Sindicalização, ou seja, os estatutos dos sindicatos do país deveriam passar pela aprovação do Ministério do Trabalho. Com isso, os sindicatos perderam sua força e se tornaram leais ao governo que se instalava no país. Pergunte aos alunos: será que isso foi benéfico aos trabalhadores ou eles acabaram perdendo seu direito de reivindicação?

Em 1943 Vargas criou a Consolidação das Leis do Trabalho. Esse conjunto de leis estabeleceu a jornada de oito horas de trabalho por dia, o descanso semanal remunerado, a regulamentação do trabalho de menores e mulheres, a criação da Previdência Social entre outras medidas. Muito do que foi criado por Vargas permanece até os dias atuais.

3ª etapa 

Solicite aos alunos uma pesquisa na internet sobre as duas principais centrais sindicais brasileiras: a CUT (Central Única dos Trabalhadores) e a CGT (Central Geral dos Trabalhadores). Veja se eles conseguem identificar as principais diferenças ideológicas entre elas. Quais partidos políticos estão ligados a elas? Quais sindicatos fazem parte dessas organizações? Debata com os alunos na sala de aula os resultados das suas pesquisas.

Avaliação 

A seqüência didática apresenta várias fases. Assim, na 1ª aula você poderá avaliar os cartazes elaborados em grupo e a explicação dos mesmos.

Na 2ª aula, a participação é muito importante a partir das questões propostas pelo professor.

Na 3ª aula, avalie as pesquisas dos alunos feitos pela internet sobre as centrais sindicais. Cada uma poderia ser registrada no caderno da turma, por meio de cartazes ou ainda com a elaboração de trabalhos escritos.

Quer saber mais?

BIBLIOGRAFIA

  • GALDINO,Luiz;. O Estado Novo, São Paulo, Editora Ática, 1986
  • D´ARAÚJO, Maria Celina; A Era Vargas. São Paulo, Editora Moderna, 2002
Autor Nova Escola
Créditos:
Ricardo Barros
Formação:
Professor de História do Colégio Paulista, em São Paulo

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.