Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


A Grande Depressão nos Estados Unidos

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 

Conhecer a história desse período marcante da trajetória norte-americana

Conteúdo(s) 

Grande Depressão dos Estados Unidos

 

Ano(s) 
Tempo estimado 
3 aulas
Material necessário 

Reportagem de VEJA: Beleza Americana - 30/09/2009

Desenvolvimento 
1ª etapa 

Introdução

A frase que serve de título a essa proposta de atividade é atribuída ao presidente norte-americano Franklin Delano Roosevelt, em meio à severa crise econômica que se abateu sobre os Estados Unidos no final dos anos 1920, conhecida como Grande Depressão.

As fotos tiradas por Walter Evans, fotógrafo contratado pelo governo americano para retratar a retomada do crescimento do país após a crise de 1929, são o tema de uma exposição no Museu de Arte de São Paulo (Masp). A partir das imagens da exposição, que é tema de reportagem de VEJA nesta semana, analise a Grande Depressão norte-americana.
 

Avalie com os alunos quais fatores teriam levado à crise econômica de 1929. Explique a eles que, com o fim da Primeira Guerra Mundial, muitos países europeus estavam devastados economicamente. Os Estados Unidos, ao contrário, saíram do conflito fortalecidos. Eram os principais credores europeus, além de fornecerem boa parte dos produtos dos quais eles necessitavam. Entretanto, na década de 1920, a Europa passou a retomar seu crescimento, graças, em grande parte, aos empréstimos concedidos pelos próprios EUA a diversos países do continente. Essa retomada levou, gradativamente, à perda de mercados pela indústria norte-americana. Elas não tinham mais para quem vender, e o mercado interno do país não conseguia consumir sua grande produção. Os preços, então, começaram a despencar, a produção diminuiu e o desemprego aumentou. A queda dos lucros, a retração geral da produção industrial e a paralisação do comércio resultaram na queda das ações da bolsa de valores e, mais tarde, na sua quebra.

Pode-se entender, portanto, a crise de 1929 como uma crise de superprodução.
Muitos historiadores apontam o dia 24 de outubro de 1929 como o início da Grande Depressão. Entretanto, a produção industrial americana já havia começado a declinar em julho daquele ano.

Solicite aos alunos que realizem uma pesquisa de imagens na internet sobre o american way of life, o modo de vida americano que estava se consolidando antes da crise. Paralelamente, peça que pesquisem também as fotos de Walter Evans que, de certa forma, são um interessante contraponto a essas imagens. Essa pesquisa pode ser dividida com os colegas, por meio de exposições nas áreas comuns da escola.

Diante do resultado da pesquisa, em sala de aula, analise as imagens com os alunos indagando:

  • Como era o consumo nos Estados Unidos?
  • Nos demais países do mundo, ele se apresentava da mesma forma?
  • Qual era o ideal de felicidade da população norte-americana?
  • Quais produtos aparecem nos anúncios? O que isso significa?
  • De que forma podemos perceber, nas imagens, que a crise de 1929 representou também a crise do capitalismo liberal?
2ª etapa 

Pergunte aos alunos se eles sabem quais foram as medidas tomadas pelo governo dos Estados Unidos para tentar conter a crise? Explique que quem governava o país era Herbert Hoover. Ele era um presidente republicano e foi acusado por boa parcela da população de ser um dos causadores da Grande Depressão. Realizadas as eleições em 1932, Franklin Delano Roosevelt, candidato do Partido Democrata, foi eleito para ocupar a Casa Branca. Roosevelt, associado nos tempos atuais à figura de Barack Obama - por uma série de coincidências históricas entre os dois -, iniciou um conjunto de reformas que ficaria conhecido como New Deal ("Novo Acordo", em português), levado a cabo entre 1933 e 1937 com o objetivo de recuperar e reformar a economia norte-americana. O nome dessa série de iniciativas foi inspirado no Square Deal, nome dado pelo presidente Theodore Roosevelt (tio de Franklin) à sua política econômica (de 1901 a 1909).

Franklin Obama: os americanos associam o novo presidente àquele que tirou o país da Grande Depressão. Foto: Reprodução
Franklin Obama: os americanos associam o novo
presidente àquele que tirou o país da Grande
Depressão.
Foto: Reprodução

Como resultado do New Deal foram criadas nos Estados Unidos dezenas de agências federais. Além disso, o programa resultou na construção de grandes obras públicas, como estradas, viadutos e órgãos bancados pelo governo federal, com a finalidade de gerar renda para a população. Vale destacar as semelhanças entre esse modelo e o adotado pelos militares brasileiros nos anos 1970 - período chamado de Milagre Econômico. Você pode pedir que a moçada, individualmente ou em grupos, trace um paralelo.

3ª etapa 

A história econômica mundial é marcada por ciclos que alternam políticas liberais e intervencionistas ou estatizantes. O liberalismo econômico se caracteriza pela liberdade dos mercados. O princípio do liberalismo pode ser entendido pela frase "laissez faire, laissez passer" ("deixe fazer, deixe passar"). As teses do liberalismo econômico foram criadas no século XVIII, com a clara intenção de combater o mercantilismo, cujas práticas já não atendiam às novas necessidades do capitalismo. O pressuposto básico da teoria liberal é a emancipação da economia de qualquer dogma externo.

Os especialistas do final do século XVIII eram contrários à intervenção do Estado na economia. Para eles, o Estado deveria apenas dar condições para que o mercado seguisse de forma natural seu curso. Já os intervencionistas acreditam que é necessária a atuação do aparelho estatal na economia, visto que a falta de tutela leva inevitavelmente ao caos. Durante a crise de 1929, John Maynard Keynes, economista britânico, ganhou notoriedade ao defender a intervenção do Estado na economia como crucial para a sobrevivência do próprio capitalismo.

Procurando relacionar a Grande Depressão com a recente crise que atinge o planeta, peça que os alunos pesquisem quais foram as medidas tomadas pelos governos atuais, após a tempestade financeira que abalou mundo a partir de setembro de 2008. Eles observarão que muitas das medidas atuais são bastante semelhantes às tomadas nos anos 1930.

 

Quer saber mais?

BIBLIOGRAFIA
1929 - A Crise que Mudou o Mundo, Jayme Brener, Editora Ática, tel. (11) 3990-2100
Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda, John Maynard Keynes, Editora Atlas, tel. (11) 3031-4555

 

Autor Nova Escola
Créditos:
Ricardo Barros
Formação:
Professor de História do Colégio Paulista

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.