Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


Examine a importância do equilíbrio hídrico do corpo

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 

Fixar conhecimentos em difusão e osmose celular.

Ano(s) 
Material necessário 

Reportagem da Veja:

 

Desenvolvimento 
1ª etapa 

Introdução

Exercício físico e sede correm juntos, mas a absorção de líquidos em exagero após a prática de alguma atividade esportiva pode ser perigosa. Esse alerta de VEJA, baseado nos estudos da USA Track&Field (Associação de Atletismo dos Estados Unidos), revela os perigos do consumo exagerado de água, essa substância essencial para a vida, como todo mundo sabe. Podemos resistir um mês sem alimentos sólidos, mas não agüentamos mais de sete dias sem beber água. Por que temos tal necessidade do líquido? Que funções o tornam tão essencial? A leitura da reportagem com a classe pode desencadear um trabalho interessante.


Explore os assuntos de permeabilidade celular, controle osmótico, circulação e distribuição de substâncias no organismo. Não deixe de abordar o comportamento celular humano quando associado a soluções hipotônicas, hipertônicas e isotônicas. Para tanto, aproveite para aprofundar os dados a seguir:

1. A água é o principal constituinte do corpo humano, tanto em peso (cerca de 60%) como em volume, que varia conforme o sexo, a idade, o preparo físico etc.

2. Nos tecidos corporais, 67% dela (cerca de 30 litros) está dentro das células e 33% ocupam o espaço extracelular.

3. Ela está em quase todos os processos químicos do organismo, dissolvendo e transportando substâncias vitais.

Distribua cópias da tabela abaixo. Ela contém informações sobre as propriedades físicas da água. O material também pode ser obtido no site da Faculdade de Química da Universidade Federal de Santa Catarina.

 

 

2ª etapa 

Construa um osmômetro (as instruções estão no quadro "Medida da Osmose") para explicar como se dá a osmose da água no corpo humano. Em seguida, recomende a leitura da reportagem. Divida a classe em grupos de no máximo quatro componentes e levante algumas questões.

  • Por que a hidratação excessiva pode prejudicar o organismo?
  • De qualquer maneira podem ser gerados os problemas respiratórios, gástricos, renais e intestinais decorrentes do consumo excessivo de água?
  • Por que motivo os líquidos devem ser ingeridos com intervalo mínimo de cinco minutos?
  • Por que em determinadas situações a ingestão de isotônicos é mais recomendada que a de água?

 

Experiência

Um ovo, o corpo transparente de uma caneta esferográfica, uma vela e um recipiente com água pura.


Procedimento

Medida da osmose
Material

Dissolva a casca da base mais larga do ovo em banho de vinagre, por 24 horas, para deixar a membrana coquilífera exposta. Depois, fure o lado oposto e remova clara e gema. Introduza o tubo de caneta no furo e fixe-o com a parafina derretida da vela, para vedar bem. Preencha o interior do ovo e parte do tubo com uma solução concentrada de açúcar e marque o nível atingido. Mergulhe a parte da membrana na água pura e observe a subida da solução no tubo, provocada pela osmose da água. No corpo humano, o fenômeno é idêntico.

 
3ª etapa 

Se precisar, elabore mais perguntas e demonstre o efeito do excesso de água sobre as hemácias (quadro abaixo).

Encarregue os grupos de elaborar as respostas. É muito provável que eles não consigam, num primeiro momento, chegar a conclusões biologicamente fundamentadas. Incentive-os a procurar as respostas em bibliotecas, na internet e por meio de entrevistas com profissionais. Depois, discuta os resultados do estudo, esclarecendo os possíveis pontos obscuros. Ao final, sugira a confecção de um cartaz que indique a função da água nas diversas partes do corpo humano.

 

 

Para saber mais

Efeitos do excesso

O plasma sanguíneo, que contém as hemácias (ao lado), também conhecidas como glóbulos vermelhos, apresenta uma concentração de 0,9% de cloreto de sódio. A forma desses glóbulos varia conforme a concentração salina do meio em que elas se encontram. Ao lado, o efeito em uma solução hipotônica. Na hipertônica ocorre o inverso.

Em equilíbrio isotônico, as hemácias têm formato de disco côncavo no centro (1); em solução hipotônica, elas incham e ficam esféricas (2); e em condições limites, dá-se o rompimento da membrana (3)

 

Para ir mais longe
Um dos papéis que o líquido desempenha é de solvente. Ele chega ao interior das células transportando nutrientes, lavando e arrastando para fora os venenos e toxinas produzidos pelo corpo. Temos reservas de água no organismo, dos quais pelo menos 4 litros são necessários para efetuar essa tarefa de forma satisfatória. O sangue faz passar, de forma cíclica, um volume equivalente a 1.500 litros de água por nossos rins a cada dia.

O consumo muito reduzido de água pode originar diversas disfunções: acúmulo de gorduras, baixo tônus muscular, deficiências digestivas, prisão de ventre, dores de cabeça, enxaqueca, problemas nas articulações e ressecamento da pele entre outros. Um adulto perde diariamente algo em torno de 2,5 litros de água - cerca de 10 copos. Meio copo sai pela sola dos pés de 2 a 4, pela respiração; 2 pela transpiração e 3 pela urina.

A água é também o meio onde ocorrem diversas reações químicas e enzimáticas no organismo. Ela transporta nutrientes, hormônios e anticorpos pelos sistemas linfático e circulatório. O ato de respirar requer uma quantidade adequada de líquido para manter as membranas dos pulmões elásticas e umidificadas. A água exerce ação lubrificante nas articulações. Quando as cartilagens estão convenientemente hidratadas, as extremidades ósseas se movimentam "flutuando" sobre esse colchão amortecedor. A água contida no centro de nossa coluna vertebral suporta 75% do peso da parte superior do corpo. Os restantes 25% são suportados pelo material fibroso situado ao redor dos discos. Assim, a capacidade de carga da coluna está estreitamente ligada ao equilíbrio hidráulico e à qualidade da água ingerida.

Nosso cérebro é composto por 75% de água. Embora pese apenas 2% do total corpóreo, esse órgão demanda 5% do fornecimento total de sangue. Dores de cabeça e enxaquecas têm sido relacionadas freqüentemente a estados de desidratação do cérebro. Uma das recomendações para curar ressacas é beber água em grandes quantidades. A digestão de alimentos sólidos depende de quantidades substanciais de água. Os ácidos e enzimas existentes no estômago reduzem a comida a um fluido pastoso antes de passá-la à próxima fase da digestão, no intestino. Baixo grau de hidratação faz com que o bolo alimentar se transforme em fezes duras e secas.

Créditos:
Maria Cristina de Araripe Sucupira
Formação:
Professora de Biologia do Colégio Santa Cruz, de São Paulo
Autor Nova Escola

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.