Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


Dom Quixote e o romance moderno espanhol

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 

Perceber as características do romance Dom Quixote de la Mancha, de Miguel de Cervantes

Conteúdo(s) 

Romance moderno, Século de Ouro espanhol


 


 

 

Tempo estimado 
2 aulas
Material necessário 

Reportagem de VEJA: O risco do conselho - 24/05/2010

Desenvolvimento 
1ª etapa 

Introdução

Em um artigo publicado na VEJA desta semana, a psicanalista Betty Milan vale-se das figuras emblemáticas de Dom Quixote e seu escudeiro Sancho Pança para focalizar temas como o imaginário e o desejo. Que tal explorar essas dimensões com seus alunos, e também o romance que apresenta esses personagens imortais: Dom Quixote de La Mancha, obra-prima da literatura ocidental?

1ª aula 

Peça que a turma leia o artigo "O risco do conselho", de Betty Milan, publicado em VEJA. Coloque em discussão as ideias desenvolvidas no texto, como o fato de privilegiarmos nosso imaginário. "Também nós ouvimos sem escutar e enxergamos sem ver para impedir que o nosso desejo seja contrariado". Pergunte a opinião da turma. O que a autora quis dizer? Os alunos concordam com a ideia de privilégio do imaginário?

Coloque em discussão, também, a correspondência entre Sancho Pança e a parte realista do indivíduo, enquanto Dom Quixote, como o texto sugere, corresponde a seu imaginário, aberto a todo tipo de desejos. Pergunte à turma se realidade e imaginação se mesclam na vida real? Acrescente que, na época da publicação do romance, Dom Quixote foi visto como a encarnação do grotesco, enquanto seu fiel escudeiro era o pícaro por excelência. Na opinião da moçada, essa ideia se mantém?

Encaminhe a discussão para o romance Dom Quixote de La Macha, do espanhol Miguel de Cervantes. Pergunte à moçada se conhecem a história e destaque, com os alunos, as características dos personagens principais. Comente que o romance escrito pelo espanhol Miguel de Cervantes foi consagrado, em 2002, como a melhor obra de ficção de todos os tempos. Proponha que os alunos leiam o livro em casa. Estabeleça um prazo para a leitura. Se possível, organize também a exibição em sala de aula, numa data futura, de um ou mais filmes sobre Dom Quixote (veja indicações ao final deste plano).

Para a aula seguinte, encomende uma pesquisa sobre Miguel de Cervantes e a Espanha de seu tempo. Para isso, entregue à turma o roteiro de perguntas abaixo e peça que tragam respondidas por escrito na aula seguinte:

  • Quais as principais características econômicas e sociais da Espanha na época em que viveu Miguel de Cervantes?
  • Como os acontecimentos da história espanhola se relacionam com a obra do autor?
  • Quais outros pintores e escritores da época podem ser destacados?
2ª etapa 

Peça que os alunos apresentem os resultados da pesquisa e discuta-os oralmente (use como base o texto abaixo).

Texto de apoio ao professor - Miguel de Cervantes

Miguel de Cervantes participou da batalha naval de Lepanto, em 1571, na qual a armada católica venceu a frota turca, barrando a expansão do Império Otomano no Mediterrâneo. Ferido durante o combate ele perdeu os movimentos da mão esquerda. Quando regressou à Espanha, em 1575, viu seu navio ser capturado por corsários e permaneceu cinco anos como escravo em Argel. Na Espanha, chegou a ser preso por dívidas, mas aos poucos firmou sua reputação literária com produções como a novela A Galatea. A primeira parte de Dom Quixote surgiu em 1605. Em 1613 publicou Novelas Exemplares e, dois anos depois, a segunda parte de Dom Quixote. Morreu em 1616, dias antes da morte de outro grande nome da literatura europeia da época: William Shakespeare.

Cervantes viveu durante o chamado Século de Ouro, apogeu da cultura de seu país, que abrange os séculos 16 e 17. Nesse período, a monarquia espanhola, que também reinou em Portugal entre 1580 e 1640, era a mais poderosa da Europa e controlava toda a América do Sul, parte da América do Norte e possuía colônias africanas e asiáticas. Em termos literários, Cervantes teve contemporâneos ilustres, como Lope de Veja, autor de 426 comédias, numerosos romances e milhares de poemas; e Luís de Góngora, poeta e dramaturgo, que deu nome a uma das tendências da estética barroca. Entre os pintores, destacam-se El Greco e Velázquez.

Em seguida, discuta com a moçada a importância de Cervantes para a Literatura espanhola e mundial. Explique que Dom Quixote de La Mancha incursiona pela paródia e pelo burlesco, até chegar à conclusão melancólica de que não há mais lugar para herois no mundo. Considerado o marco inicial do romance moderno, o livro influenciou sucessivas gerações de autores. Entre os escritores influenciados por ele estão os britânicos Daniel Defoe, Walter Scott, Charles Dickens e mesmo James Joyce, o francês Gustave Flaubert, o russo Fiódor Dostoievski, o americano Herman Melville, o argentino Jorge Luís Borges e o brasileiro Machado de Assis.

Para finalizar, apresente à turma uma curiosidade. Conte a eles que o protagonista do romance de Miguel de Cervantes deu origem ao adjetivo "quixotesco", que tem o significado de "generosamente impulsivo, sonhador, romântico, nobre, mas um pouco desligado da realidade". Discuta com a classe a relação entre o personagem de Cervantes e a interpretação dada à expressão.

Avaliação 
Na primeira etapa, atente para os argumentos da turma a respeito do texto de Betty Milan e verifique a coerência deles. Em seguida, analise os resultados da pesquisa realizada em casa e observe se os alunos entenderam a importância de Cervantes para a Literatura.

Quer saber mais?

Bibliografia 
Dom Quixote (2 volumes), Miguel de Cervantes, LP&M Editores, tel.: (51) 3225-5777

Filmografia 
Don Quixote, direção de Peter Yates, EUA, 2000
O Homem de La Mancha, direção de Arthur Hiller, EUA, 1972

 

Autor Nova Escola
Créditos:
Carlos Eduardo Matos
Formação:
jornalista e editor de livros didáticos e paradidáticos

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.