Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


De olho na ferrugem

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 

- Conhecer as causas do processo de formação da ferrugem.

Conteúdo(s) 

- Materiais e suas características.

 

Ano(s) 
Tempo estimado 
Cinco aulas.
Material necessário 

Três frascos de vidro com tampa, etiquetas adesivas, duas esponjas de lã de aço, tesoura, régua e cartolinas.

Desenvolvimento 
1ª etapa 

Proponha um debate sobre as transformações que os materiais podem sofrer. Fale do ferro, que normalmente é resistente. Faça um passeio pela escola a fim de notar possíveis alterações em metais expostos à ação do tempo. Essas observações devem ser anotadas na forma de uma lista que contenha o objeto (poste, grade etc.) e o que foi observado (mudou de cor, está soltando pedaços etc.).

2ª etapa 

Compartilhe com a turma as anotações e peça que os alunos proponham explicações para o que observaram.

3ª etapa 

Nesse momento, a ideia é observar a formação de ferrugem. Numere os três frascos com etiquetas e coloque a metade de uma esponja de aço em cada um. Em seguida, proceda assim:
Frasco 1: acrescente água para cobrir toda a esponja de aço.
Frasco 2: acrescente água para cobrir metade da esponja de aço.
Frasco 3: não acrescente nada.
A esponja de aço deve ser observada antes do experimento e após um, três e seis dias. Os dados serão anotados numa tabela que registre o tempo e as variações ocorridas, montada na cartolina e fixada em sala. Espera-se que, no frasco 1, a formação de ferrugem seja pequena, uma vez que o ar não entrará em contato direto com a lã de aço. No frasco 2, o ar e a água estarão em contato com a esponja, favorecendo o processo. Já a esponja seca não enferrujará.

4ª etapa 

Distribua ou acesse com a turma o texto Por que Alguns Objetos Enferrujam?. Explique que a ferrugem é um processo natural, que altera os materiais compostos de ferro. O oxigênio (presente no ar que respiramos) desencadeia o processo, enquanto a água o acelera.

5ª etapa 

A elaboração de um relatório de experimento pode ser feita de forma coletiva, em duplas ou trios. Ele deve conter os objetivos, os materiais utilizados, os procedimentos e as observações realizadas.

Avaliação 

Examine os trabalhos produzidos e observe se o fenômeno foi entendido.

Flexibilização 

Para os alunos com deficiência intelectual, inclua nos materiais também ilustrações. Proponha que o aluno faça essa atividade na companhia de um colega ou com o seu acompanhamento. Exija mais suas atitudes para a observação do que para o registro. Peça que ele pesquise materiais que estejam enferrujados e, se possível, que os fotografe ou os leve para a escola.

Na segunda etapa, faça perguntas sobre a cor e a textura da ferrugem. Exemplo: quando a tocamos, ela deixa marcas? O objetivo é desenvolver sua observação.
Antes de iniciar a experiência da terceira etapa, pergunte ao aluno o que ele imagina que vai ocorrer em cada frasco para estimular a formulação de hipóteses.
Na quarta etapa, o uso de figuras (preferivelmente fotos das observações) garante ao aluno compreensão e participação mais efetivas nas discussões.
Por fim, faça uma avaliação oral usando figuras para o aluno expressar o que aprendeu.

Deficiências 
Intelectual
Créditos:
Waldir Hernandes
Formação:
Professor e coordenador da área de Ciências da Stance Dual Bilingual School, em São Paulo.
Autor Nova Escola

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.