Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


Concretismo na música e na poesia

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 
  • Identificar as características do Concretismo
  • Compreender as manifestações concretistas na poesia e na música
  • Entender a influência da poesia concreta na música popular brasileira
Conteúdo(s) 
  • Concretismo e Poesia práxis
  • Música popular contemporânea
Ano(s) 
Tempo estimado 
2 aulas
Material necessário 
  • Cópias da reportagem "Uma visão crítica das coisas" (VEJA, 2288, 26 de setembro de 2012)
  • Computadores com acesso à internet
  • Projetor de imagens

Este plano de aula está ligado à seguinte reportagem de VEJA:

Desenvolvimento 
1ª etapa 

Introdução

Concretismo, movimento que nasceu na Europa na década de 1940, pretendia unir forma e conteúdo e se manifestou na música, na pintura, na escultura, na arquitetura e na literatura.
Os trabalhos concretistas enfatizavam a racionalidade e a lógica como elementos principais de sua concepção. Um objeto artístico, seja ele um quadro ou uma poesia, deveria apresentar-se primeiramente através de sua forma física.

Antes da aula, pesquise sobre a concepção construtivista na arte e na literatura. Para contextualizar a poesia concreta é importante conhecer as vanguardas europeias que deram origem à estética modernista as concepções iniciais do concretismo. A obra do poeta russo Maiakovski, e também a criação poética do francês Mallarmè e do irlandês Ezra Pound influenciaram diretamente esse movimento. Pesquise sobre a obra dos irmãos Campos, Décio Pignatari e Mario Chamie. Ouça os discos "Ou não" e "Revolver", de Walter Franco; "Araçá azul", de Caetano Veloso e "Nome", de Arnaldo Antunes e selecione algumas canções para ilustrar a aula. Sugestões: "Feito gente", "Mamãe d´agua" ou "Cabeça" de Walter Franco, "Bat Macumba", na versão de Gilberto Gil ou dos Mutantes, "Julia/Moreno", de Caetano Veloso ou "Cadê mar", de Tom Zé.

Para enriquecer ainda mais sua aula, selecione alguns poemas dos irmãos Augusto e Humberto de Campos, de Décio Pignatari e da fase concretista de Ferreira Gullar e demonstre a aproximação entre criação literária e musical.

 

Comece explicando aos alunos que o Concretismo foi um movimento artístico de vanguarda que começou na Europa a partir da década de 194O. Suas manifestações aconteceram na música, na pintura, na escultura, na arquitetura e na literatura. Os artistas vinculados a esse movimento procuraram estabelecer critérios de produção em que a ausência da emoção e a busca por uma elaboração racionalista e funcional da obra de arte levassem à fusão entre forma e conteúdo. Os trabalhos concretistas enfatizam a racionalidade e a lógica como elementos principais de sua concepção. Um objeto artístico, seja ele um quadro ou uma poesia, deve apresentar-se primeiramente através de sua forma física.


O objeto passou a ser a expressão do conceito que ele representa. Nas artes plásticas, isso significou a elaboração de quadros e esculturas que primavam pela funcionalidade: a escultura não deveria apenas ocupar um espaço decorativo, mas interagir e interferir com o ambiente. Essa interação fazia com que um objeto indefinível, mas inegavelmente concreto, adquirisse sentido.

Conte que na pintura os trabalhos primavam pelo abstracionismo geométrico, com uma clara tentativa de extrapolar os limites sensoriais oferecidos pelo quadro, ultrapassar os conceitos de observação tradicional e levar o observador a uma racionalização a respeito da forma. As pinturas eram concebidas através de conceitos racionalistas que buscavam romper com a noção de perspectiva, por meio de representações geométricas.

O movimento concretista na poesia apareceu na década de 1950 com a publicação da revista
Noigrandes, pelos poetas brasileiros Décio Pignatari, Augusto e Haroldo de Campos. A proposta era abandonar radicalmente o verso e a subjetividade expressiva na produção poética. Buscava explorar o poema em suas máximas possibilidades: a organização das letras e palavras no papel, a fonte utilizada, a sonoridade, a leitura aleatória, a recombinação entre as partes do poema e a aproximação entre som/palavra impressa/formato gráfico em busca da invenção de um objeto-poético. O poema deveria extrapolar os limites do suporte gráfico e fundir-se com outros suportes técnicos e referências cognitivas. Desta maneira, a poesia uniria seus aspectos visuais e sonoros com sua carga semântica.

A poesia concretista buscou aproximar-se da ideologia do poeta modernista russo Vladimir Maiakovski (1893-193O), que afirmava "Não há arte revolucionária sem forma revolucionária".
Um dos nomes ligados ao movimento, ainda que tenha se desvinculado da estética concretista já na década de 196O é Ferreira Gullar, poeta entrevistado por Veja.

2ª etapa 

Distribua aos alunos cópias da entrevista que o poeta Ferreira Gullar concedeu à revista Veja. Explique que esse poeta é um dos nomes mais importantes da poesia brasileira contemporânea. Lembre que, apesar de sua adesão ao movimento concretista nos anos 195O, rompeu com o que chamou de excessivo formalismo concretista.

Leia para os alunos a definição de poesia concreta segundo o manifesto "Plano-piloto para poesia concreta", assinado pelos irmãos Campos e Décio Pignatari de 1958:

"Poesia concreta: produto de uma evolução crítica de formas, dando por encerrado o ciclo histórico do verso (unidade rítmico-formal), a poesia concreta começa por tomar conhecimento do espaço gráfico como agente estrutural".

Note que o título do manifesto faz referência à construção de Brasília, considerada o marco simbólico da funcionalidade concretista na arquitetura. Explique que o experimentalismo concretista na literatura acabou aproximando a poesia do design, da publicidade e da música popular. Alguns músicos como Tom Zé, Caetano Veloso e Arnaldo Antunes utilizaram as propostas concretistas em sua produção musical. Essa aproximação levou a criação de álbuns marcantes da música popular brasileira, como os discos "Todos os Olhos" (1973) e "Estudando o samba" (1975), de Tom zé; Araçá Azul (197...), de Caetano Veloso e "Nome" (1993) de Arnaldo Antunes. Nesses discos, fica clara que a aproximação entre poesia, música e formato gráfico leva a efeitos sonoros de grande expressividade.

Lembre que os interesses da arte concretista sempre se voltaram para temas contemporâneos, que são conhecidos dos alunos como a industrialização, o crescimento urbano, a comunicação de massa e o design. A arte é concebida como uma manifestação formal, e perde, portanto, seu sentido social e ideológico. O ideal da concepção artística passa a ser valorizado por seu funcionalismo.

Diga também que o movimento pregava a fusão do som com o desenho e a poesia. Para exemplificar, proponha a leitura dos poemas. Apresente com o auxílio do projeto de imagens ou distribua cópias dos poemas "Velocidade""LUXO/LIXO""Algo""Bat macumba" e "Mar Azul".

Demonstre no poema a presença do ideal concretista de aproveitamento da forma em suas múltiplas possibilidades significativas. O poema LUXO/LIXO, por exemplo, utiliza dos aspectos sonoros que aproximam os dois vocábulos. Essa aproximação sonora apresenta oposição entre os dois vocábulos - que pode sugerir a interpretação de luxo como a extensão do lixo, ou o lixo como essência do luxo. Ainda que dê mais atenção aos aspectos formais, o poema de Haroldo de Campos oferece a possibilidade da crítica social. Isso também está presente nos outros textos analisados.

3ª etapa 

Para explicar a presença do concretismo na música, execute as canções "Bat Macumba", de Gilberto Gil e "Nome", de Arnaldo Antunes. Após a audição, pergunte aos alunos em que as poesias e canções apresentadas se parecem. Peça que debatam sobre a influência das propostas concretistas na música brasileira e respondam a seguinte pergunta: auais são as principais concepções estéticas apresentadas pelo concretismo? Ouça as respostas e anote no quadro.

Avaliação 

Verifique se os alunos foram capazes de analisar e compreender as manifestações concretistas e a aproximação existente entre as propostas estéticas da poesia concreta com o experimentalismo na música popular.

Flexibilização 

Para estimular a emoção dos alunos para a poesia, toque três diferentes músicas instrumentais e em seguida pergunte o que sentem quando ouvem cada uma das canções. Questione também se remetem a alguma lembrança. Compare todas as respostas! Para o aluno cego ou com baixa visão conte com o auxílio do professor de atendimento educacional especializado. Ele poderá ajudar a adaptar a leitura dos poemas concretistas citados no plano usando barbante ou outro material que crie um alto relevo.

Deficiências 
Visual
Autor Nova Escola
Créditos:
André Luis Rosa e Silva
Formação:
Professor de Literatura e Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Ponta Grossa

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.