Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


Comunicação oral: entrevista no contexto de estudo

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 

- Aprimorar a fala em situação de comunicação oral formal.
- Participar de uma situação de comunicação oral formal.
- Reconhecer algumas das características e funções de uma entrevista.
- Ampliar capacidade dos alunos de ler entrevistas.

Conteúdo(s) 

- Características e funções de uma entrevista.
- Adequação da fala à situação formal de entrevista.
- Utilização de recursos próprios à situação de entrevista.
- Realização de leitura de textos informativos para obter informações sobre o entrevistado e sua obra.

Ano(s) 
Tempo estimado 
17 aulas
Material necessário 

Computador com acesso à internet, filmadora ou gravador, entrevistas em vídeo, áudio e em papel (para leitura) e fichas para sistematização.

Desenvolvimento 
1ª etapa 

Antes de iniciar esse trabalho, faça um levantamento dos artistas locais sobre os quais seja possível obter alguma informação e que tenham disponibilidade para participar de uma entrevista realizada pelos alunos. Também se pode optar por fazer esse trabalho a partir do interesse da turma em aprender um pouco mais sobre um(a) autor(a) de livros que esteja sendo lido pela professora ou por eles. O fundamental é que o artista escolhido seja alguém disponível para ser entrevistado pela turma posteriormente.

A partir das informações obtidas sobre o artista estudado, a entrevista deve surgir como a melhor forma de obter novas informações e aprofundar o conhecimento que se tem. Nesse sentido, a primeira atividade deve ser compartilhar o objetivo com os alunos. PARA QUE se vai realizar a entrevista: obter mais informações sobre a vida e obra do artista escolhido.

2ª etapa 

Definir o que se quer saber do entrevistado

Uma vez definido o objetivo da entrevista, ajude as crianças a organizar o que o grupo já sabe sobre a vida e a obra do artista.
Durante algumas aulas, trabalhe com diferentes fontes de informação - material impresso (reportagens, notícias, biografias etc.), áudio, vídeo, pesquisas realizadas na internet. Faça a leitura em voz alta dos textos e organize conversas apreciativas para que as crianças possam compartilhar suas impressões sobre os materiais e os dados apresentados por eles. Ajude-os a perceber se há informações similares ou divergentes nos materiais analisados. Aproveite a ocasião para enfatizar a necessidade de pesquisar em fontes confiáveis quando se deseja obter dados precisos sobre um objeto de estudo.
Após a realização dessa tarefa, sistematize na lousa as informações organizadas pelos alunos, em forma de lista, sob o título "O que já sabemos". Em seguida, faça outra coluna na lousa intitulada "O que queremos saber" e questione os alunos sobre o que ainda falta saber sobre a vida e obra do artista estudado. Vá inserindo as informações que os alunos levantarem, preocupando-se em evidenciar quando houver a citação de alguma informação que já se tem. Ao final, cheque com os alunos se tudo o que a classe deseja saber consta da lista. Copie as duas listas em papel grande e deixe-as no mural da classe. Nesta etapa, é possível realizar uma apreciação das obras do artista pesquisado, procurando perceber de que maneira as informações pesquisadas até o momento contribuem para ampliar a compreensão das mesmas.

3ª etapa 

A Construção de repertório sobre uma boa entrevista

Uma vez definido o que se quer saber, é preciso ampliar o conhecimento que o grupo tem sobre este gênero. Antes de ler/ver/ouvir uma entrevista com os alunos, procure levantar os conhecimentos prévios da turma a respeito dos portadores impressos e orais nos quais podemos encontrar as entrevistas (jornal, revista, site, programa de TV e rádio etc.), sobre o gênero em si (entrevista), que aparece sob as formas oral e escrita, e sobre o entrevistado escolhido. Comece perguntando para os alunos em qual portador lemos e ouvimos entrevistas, complementando as respostas que aparecerem. Pergunte se já leram ou ouviram entrevistas, onde e com quem. Questione-os sobre as situações em que costumamos ler/ouvir/ouvir esse tipo de gênero e esclareça que as entrevistas também podem ser encontradas em sites na internet. O objetivo é que os alunos, sabendo onde podem encontrar uma entrevista e seu uso social, possam antecipar seu conteúdo informativo.
Durante algumas aulas, apresente e analise com os alunos vídeos, áudios e impressos que contenham entrevistas. Dê preferência a materiais que contemplem a mesma modalidade artística, ou seja, se a classe optou por entrevistar um escritor de literatura infantil, ofereça-lhes entrevistas com outros autores. Assim, os alunos poderão observar semelhanças entre os tipos de perguntas e respostas, construindo um repertório para elaborar seu próprio roteiro de entrevista.
Oriente a observação dos alunos para cada entrevista apresentada, destacando aspectos importantes para quem está aprendendo a ser um entrevistador: o objetivo da entrevista, as informações obtidas, a adequação das perguntas feitas pelo entrevistador, o ajuste das perguntas às respostas do entrevistado, as perguntas que "nasceram" durante a entrevista, etc. Volte à mesma entrevista várias vezes: primeiro ouça/veja/leia a entrevista inteira e depois ouça/veja releia trechos da entrevista que destaquem determinados aspectos. Analise o que se soube a partir da entrevista enfocada e o que faltou saber. Levante o que os alunos perguntariam ao entrevistado caso fossem os entrevistadores. Faça exercícios a partir de uma entrevista, como por exemplo, ler a resposta dada pelo entrevistado e pedir que os alunos formulem a pergunta que resultou naquela resposta. Esta é também uma excelente oportunidade para que os alunos observem as falhas da entrevista realizada ou as dificuldades que surgiram e com as quais o entrevistador teve que lidar, como por exemplo, quando o entrevistado responde de forma lacônica ou quando muda de assunto, deixando de responder à pergunta. Analise com os alunos o que fez o entrevistador e o que fariam eles caso fossem o entrevistador.

4ª etapa 

Elaborando um roteiro para a entrevista

Uma vez que todos tenham compartilhado o que já se sabe e o que falta saber, chega a hora de elaborar um roteiro para a entrevista. Na primeira atividade desta etapa, retome a lista "O que queremos saber", que foi feita na segunda etapa. Releia-a com os alunos e verifique se ela está completa. Acrescente novas sugestões. Se possível, retome o que foi discutido nas aulas anteriores a partir da leitura de entrevistas de profissionais que desempenhem trabalhos semelhantes aos do artista escolhido pela sala. Em seguida, junto com os alunos, agrupe as questões por blocos temáticos: sobre a infância do artista, sobre o início da carreira, sobre a vida pessoal, sobre a vida profissional, sobre a sua obra, curiosidades de sua vida, opiniões do artista, etc. Eleja um destes blocos temáticos para, junto com a classe, elaborar perguntas. Durante esta atividade, relembre as características das boas entrevistas e os aspectos observados durante a terceira etapa do trabalho. Após esta atividade coletiva, divida os alunos em grupo, organizando-os de maneira que haja no mínimo um leitor fluente e um aluno alfabético em cada um deles. Entregue um bloco temático para cada grupo desenvolver duas questões a respeito dele. Oriente-os para que observem o que já sabem (na lista afixada na classe) de forma a não elaborarem perguntas desnecessárias. Em seguida, apresente a produção de cada grupo para a classe para que todos possam fazer suas observações e dar suas sugestões. Construa o roteiro final coletivamente.

5ª etapa 

Marcando a entrevista e definindo os papéis de cada aluno na realização da entrevista

Após ter o roteiro pronto, já se pode agendar a entrevista. Combine com a classe qual a melhor data, quando a turma já estiver pronta para sua realização. Em seguida, defina o que precisará ocorrer na entrevista: quem fará as perguntas, como será a gravação e quem ficará responsável por essa tarefa, de que maneira irão receber o artista, como vão acompanhar a atividade e quem irá assinalar no roteiro as perguntas já feitas. Cada grupo que elaborou as questões por bloco temático deverá definir quantos entrevistadores (pode haver mais de um, desde que as perguntas sejam feitas de forma organizada e o ritmo da entrevista seja mantido) participarão do momento da entrevista.
Se possível, peça ajuda a outro adulto para operar a filmadora ou gravador nesse momento. Dessa forma, será mais fácil realizar intervenções e observar a postura adotada pelas crianças durante a atividade para discuti-las nas próximas etapas.

6ª etapa 

Ensaio da entrevista

Após ter o roteiro pronto e definidos os papéis de cada um, faça um ensaio com os alunos. Promova uma simulação na qual você será o entrevistado e os alunos, os entrevistadores. Nesse momento, crie situações possíveis de serem vividas numa entrevista para ver como os alunos se saem, tais como: responda às questões de forma lacônica, com monossílabos; desvie do assunto perguntado; fale sobre muitos assuntos; antecipe um assunto ainda não perguntado, de forma a que eles tenham que ajustar as perguntas previstas no roteiro. Em seguida, analise a forma como ocorreu: ouça/ veja a gravação com os alunos e aponte os problemas - se os alunos falaram simultaneamente, dificultando a compreensão da pergunta, se há perguntas que necessitam ser refeitas ou mesmo descartadas, se o uso da filmadora/gravador foi adequado e se todas as perguntas foram feitas.

7ª etapa 

Realização da entrevista

No dia da realização da entrevista verifique se todos os instrumentos necessários para a realização da entrevista estão disponíveis: filmadora/gravador, pilhas extra e roteiro da entrevista. Os alunos que farão as perguntas deverão estar cientes da ordem em que deverão se pronunciar. No momento da entrevista, o professor poderá fazer perguntas não previstas no roteiro e sinalizar o grupo caso ocorra repetição de perguntas, por exemplo. Deve, no entanto, fazer isso com cuidado para que seja apenas uma intervenção pontual e a entrevista seja realizada pelos alunos.

Avaliação 

Na primeira aula após a realização da entrevista é importante fazer uma roda de conversa para que todos possam manifestar suas impressões e falar sobre o que acharam da desse trabalho. Nessa ocasião é muito importante que o professor retome todo o processo, marcando as aprendizagens realizadas, os avanços que os alunos tiveram. Cabe aqui também levantar as falhas que possam ter ocorrido na realização da entrevista e retomar por que elas ocorreram. Aqui vale destacar que uma boa entrevista depende da capacidade de interação do entrevistador com o entrevistado e de seu conhecimento sobre o assunto.

Créditos:
Denise Guilherme
Formação:
assessora pedagógica de formação de professores de redes municipais de educação
Autor Nova Escola

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.