Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


Como evitar doenças

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 

- Saber que hábitos não saudáveis podem contribuir para o surgimento de doenças.
- Conhecer atitudes que contribuem para a manutenção do próprio corpo.
- Entender como as atitudes podem influenciar a saúde.

Conteúdo(s) 

- Hábitos saudáveis e não saudáveis
- Saúde corporal.

Ano(s) 
Tempo estimado 
Três aulas.
Material necessário 

Folhas de papel A4, lápis de cor, quadro e giz.

Desenvolvimento 
1ª etapa 

Inicie uma conversa com os alunos sobre a importância da saúde para o bom funcionamento do corpo. Você pode fazer uma analogia entre o corpo humano e uma máquina. Para que ela funcione direito, todas as suas peças também precisam estar funcionando bem. Ou seja: manutenção é fundamental. Com o nosso corpo não é diferente. Trata-se de uma "máquina biológica" que só funciona bem se tiver suas "peças" em ordem. Lance para os estudantes a seguinte pergunta: "O que podemos fazer para manter o bom funcionamento do nosso corpo?". O intuito é verificar se eles identificam que, para o corpo humano funcionar adequadamente, é preciso cuidar da saúde - e que uma das maneiras é adotar bons hábitos, tais como manter uma alimentação saudável, praticar exercícios, beber bastante água, reservar um tempo para a diversão, dormir cerca de oito horas por noite etc. Pode ser que os alunos não façam ideia do que seja um hábito saudável. Nesse caso, você precisa intervir e orientar a discussão. Descubra quais sãos as concepções da turma sobre o assunto e registre as ideias no quadro em forma de tabela para facilitar a organização e a socialização das informações mais tarde.

2ª etapa 

Retome a discussão com os estudantes utilizando as informações contidas na tabela da etapa anterior. Nesse momento, relembre as ideias apresentadas pela turma. Agora que eles já têm uma noção do que são práticas consideradas saudáveis e não saudáveis, questione: "Um hábito saudável pode acabar se tornando não saudável?". Peça, por exemplo, que eles imaginem uma pessoa que não consome nenhum tipo de carne (fonte de proteínas) ou carboidrato (massas em geral), alimentando-se exclusivamente de vegetais. Será que essa alimentação é adequada? Deixe que as crianças pensem por alguns instantes sobre essa situação. O objetivo é levá-los a perceber que excessos podem ser prejudiciais à saúde, mesmo que pareçam saudáveis (não consumir nenhum tipo de carne ou carboidrato pode trazer problemas sérios de saúde, principalmente para quem ainda está em fase de crescimento). Em seguida, organize os estudantes em duplas e proponha um novo desafio. Cada dupla deverá escolher um hábito saudável e um não saudável. As crianças terão de fazer desenhos para retratar as duas situações (enquanto uma delas desenha o hábito saudável numa folha de papel, a outra desenha o hábito não saudável em outra folha). Além de desenhar, elas deverão explicar por escrito, no verso das folhas, por que aquele desenho representa um hábito saudável ou não saudável, e quais os benefícios ou malefícios relacionados a ele. Por fim, recolha e guarde os desenhos, pois eles serão utilizados na próxima etapa.

3ª etapa 

As duplas participarão de um jogo em que uma tentará adivinhar a justificativa do desenho de outra, com base nos hábitos saudáveis e não saudáveis discutidos anteriormente. Se for possível, organize as carteiras dos alunos para facilitar a integração e estimular a participação de todos. Distribua os desenhos aos respectivos autores. Em seguida, peça que eles troquem os desenhos, de modo que ninguém permaneça com o desenho original, e informe que não é permitido olhar o que está escrito no verso de cada folha, pois a ideia é justificar o desenho recebido de um colega com base nas ideias apresentadas pela classe sobre hábitos saudáveis e não saudáveis. Deixe claro que o objetivo não é vencer, mas proporcionar uma situação coletiva de aprendizagem e interação.

Avaliação 

Durante o jogo, avalie como os alunos justificaram seus desenhos, procurando estabelecer relações entre o que foi desenhado e o que foi discutido no decorrer das aulas. Se julgar necessário, apresente e discuta com eles mais alguns exemplos de hábitos saudáveis e não saudáveis.

Flexibilização 

Desvincular hábitos saudáveis de deficiência física.

1ª etapa 
Pode ser que, entre os alunos, apareça a ideia de que o colega com deficiência a adquiriu por falta de hábitos saudáveis. Nesse caso, esclareça as dúvidas da turma. Uma estratégia é conversar sobre as diferenças físicas e de habilidade que marcam as variadas fases da vida - do bebê ao idoso -, demonstrando que uma coisa não tem nada a ver com a outra. Depois, amplie para as diferenças entre pessoas da mesma família ou da mesma faixa etária. Verifique, no entanto, se o aluno com deficiência física está à vontade e seguro para participar da conversa. É preciso estar bem informado sobre o histórico da criança e sua deficiência. 

2ª etapa 
Para formar dupla com aluno com deficiência, escolha um colega que seja bem colaborativo e de fácil socialização. Sugira que eles se desenhem em diferentes situações aplicáveis à proposta da atividade (hábitos saudáveis e não saudáveis) e peça que mostrem ao restante da classe aquilo que produziram. Isso pode resultar em mais representatividade, interesse e aprendizagem - tanto para o aluno com deficiência fisicas quanto para as demais crianças da turma.

Deficiências 
Física
Autor Nova Escola
Créditos:
Thiago Tassinari Lopes
Formação:
Professor de Ciências pesquisador da Sangari Brasil, em São Paulo.

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.