Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


Coleção coletiva de tampinhas

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 
  • Compreender o sistema de numeração decimal
  • Resolver problemas simples de adição
  • Desenvolver a escrita de números com mais de um algarismo
Conteúdo(s) 
  • Contagem periódica de objetos (coleções)
  • Problemas de adição (agregar)
  • Produção de notações numéricas
  • Comparação de grandezas numéricas
  • Contagem e sobrecontagem
  • Explicitação, análise e comparação dos procedimentos selecionados

 

Ano(s) 
Tempo estimado 
8 aulas
Material necessário 

Tampinhas (de refrigerante, suco e outras)

Desenvolvimento 
1ª etapa 

Iniciando uma coleção coletiva 
Inicie a atividade com uma roda de conversa e perguntar para as crianças se alguém coleciona alguma coisa ou se conhece alguém que colecione.

Leve para a sala de aula uma coleção de tampinhas e pergunte se a turma topa dar continuidade à coleção. As tampinhas poderão servir, futuramente, de peças para jogos de percurso ou outros envolvendo a contagem.

Organize as crianças em grupos de quatro e entregue para cada grupo uma certa quantidade de tampinhas para que contem e registrem. Conforme o andamento da atividade, ofereça, para os grupos que precisarem, uma fita métrica, uma cartela de loteria ou uma tabela numérica como apoio para a contagem e para o registro das quantidades.

Depois que cada grupo anotou sua quantidade de tampinhas, organize a socialização dos registros.

Antecipação dos possíveis registros das crianças:
- Faz desenhos ou marcas correspondentes a cada peça da coleção;
- Escreve a série numérica, colocando um número para cada peça da coleção;
- Anota um único algarismo representando o total de tampinhas;
- Organiza as tampinhas em grupos e anota a quantidade de cada grupo (depois soma).

Marque na lousa quantas tampinhas cada grupo contou.

Compare o estado das coleções, perguntando para os alunos:
- Que grupo tem maior quantidade tampinhas?
- Que grupo tem a menor quantidade de tampinhas
- É possível saber sem ter que contá-las novamente?

A continuidade dessa proposta será seguir colecionando tampinhas e, semanalmente, controlar o crescimento da coleção.

Assista à aplicação da 1ª etapa no vídeo "Iniciando uma coleção coletiva". 

2ª etapa 

A coleção cresce e novos problemas aparecem 
Monte um cartaz para registrar a como a coleção vai evoluindo a cada aula. Deixe-o fixado em uma das paredes da sala.
 

Grupos/Datas Dia 1  Dia 2 Dia 3 Dia 4 Dia 5 Dia 6 Dia 7 Dia 8
Grupo 1                
Grupo 2                
Grupo 3                
Grupo 4                
Grupo 5                
Grupo 6                

 

Entregue mais algumas tampinhas para cada grupo. Peça que calculem com quantas ficaram, anotando o novo total no cartaz. Observe quem retoma a contagem a partir do número 1 e quem faz a sobrecontagem - isto é, quem continua a contagem a partir da quantidade que já conhecia.


Se a maioria da turma tiver recursos de contagem que vá além de contar de um em um, proponha que cada grupo calcule o total de tampinhas da coleção da turma. De qualquer forma, proponha que façam a contagem e registrem o total em um quadro numérico que também ficará fixado na sala.

Se houver, por exemplo, 20 tampinhas na coleção, todos os quadrinhos do quadro, até o 20, serão marcados com X. Ao trazer mais duas tampas, a criança vai fazer um X no 21 e outro no 22, realizando uma sobrecontagem, sem precisar contar todas as tampinhas novamente a partir do 1.

3ª etapa 

Discutir os procedimentos utilizados: contagem e sobrecontagem 
Proponha que cada grupo verifique novamente a quantidade de tampinhas que possui e anote no papel que está dentro do saquinho de tampinhas de cada grupo.

Um representante de cada grupo vai até outro e explica como calculou. Em seguida, solicite que um representante de cada grupo vá até a lousa para explicar para os demais, como fizeram para calcular. Observe e destaque os grupos que utilizaram a contagem (iniciando do 1) e os que aplicaram a sobrecontagem (iniciando do número registrado na aula anterior).

Proponha que as crianças comparem as estratégias e analisem qual consideram mais adequada para resolver esse tipo de problema.

Entregue para cada aluno uma tabela de dupla entrada, igual à do cartaz que foi colocado na parede da sala. Peça que um representante de cada grupo dite às demais crianças a quantidade de tampinhas obtida no seu grupo para que a anotem em seus quadros. Quem dita escreve no quadro grande, ao lado do nome do seu grupo.
Assista à aplicação da 3ª etapa no vídeo "Contando a coleção de tampinhas".

Avaliação 

Produto final

Tabela com o registro da coleção de tampinhas da turma.

Escrita de números grandes 
Proponha os seguintes problemas: 

Problema 1
Um grupo do 2º ano conferiu suas tampinhas e chegou ao total de oitenta e quatro. Ângela ditou a quantidade obtida para que seus colegas anotassem nos seus quadros. Veja como algumas crianças anotaram: 
 

Carlos 64
Kauan 804
Nayara 84

 

Problema 2 
Algumas crianças do 2º ano resolveram fazer coleções individuais. Anote ao lado do nome de cada criança a quantidade de peças que ela tem. Procure o número na tabela abaixo:

Raik: ______________________ quarenta e um

Claryce: _____________________ sessenta e três

Simeone: _____________________cento e cinquenta

Evelyse: ______________________ cinquenta e oito

Thais: ________________________ quatrocentos e vinte e três

Vanessa: _____________________ cento e trinta e cinco

 

100305 423 6003     10050  508      41       
1035 85 1050 14 58 73
401 135 15 4623 150 603
324 4100203 603 4023 63 38

 

Proponha a discussão coletiva após a resolução de cada problema. Incentive que cada aluno justifique suas respostas e procure entender o procedimento do colega.


Assista à aplicação da 4ª etapa no vídeo "Escrevendo números grandes".

Flexibilização 

Ao organizar a roda de conversa fique atento para não dar explicações de costas para o aluno com deficiência auditiva. Posicione-o de frente para você para ampliar o contato visual. Quando separar a turma em grupos, incentive que o estudante participe realizando as contagens e as registrando. Se considerar necessário, repita as propostas e verifique se ele está acompanhando a atividade. Para as discussões sobre os procedimentos na 3ª etapa, peça que aluno aponte em uma tabela numérica as contagens realizadas. Ele pode ir de um em um ou fazer as relações com a ordem do sistema de numeração. Ter um intérprete de libras na classe é muito importante para o desenvolvimento da comunicação da criança surda. No contraturno, converse com o AEE para que também trabalhe a expressão dos números em libras.

Deficiências 
Auditiva
Créditos:
Priscila Monteiro
Formação:
Coordenadora do programa Matemática é D+, da Fundação Victor Civita
Autor Nova Escola

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.