Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


Circuitos no pátio

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 

- Progredir no domínio das relações espaciais a partir da interpretação e produção de representações gráficas de caminhos e trajetos;
- Antecipar ações concretas por meio da representação de espaços, utilizando linguagem - gráfica e verbal;
- Seguir e elaborar instruções para que outro possa percorrer os trajetos estabelecidos, progredindo na utilização de um vocabulário adequado.

Conteúdo(s) 

- Localização, leitura e interpretação de informação matemática em representações gráficas;
- Comunicação e reprodução de trajetos considerando elementos do entorno como pontos de referência.
- Representação gráfica de percursos e trajetos, considerando as relações de orientação, para frente, para trás, à esquerda, à direita, e a inclusão de pontos de referência.

Ano(s) 
Creche
Pré-escola
Tempo estimado 
Aproximadamente 4 semanas, duas atividades por semana.
Material necessário 

Materiais diversos para montar os circuitos no pátio da escola: colchonete, pneus, bancos, mesa, corda, tábuas, caixas, etc.

Desenvolvimento 
1ª etapa 

As representações espaciais (esquemas, desenhos, mapas) substituem a ação direta sobre o ambiente e a percepção imediata, comunicando informações espaciais. Do ponto de vista didático, o desenho e os problemas próprios da representação plana são um meio ideal para provocar, intencionalmente, o início da conceituação de alguns aspectos do ambiente físico. Eles também são uma possibilidade de iniciar os alunos nos primeiros conhecimentos geométricos.

Percorrer circuitos 
Como primeiras atividades, organize no pátio da escola percursos ou labirintos, confeccionados com diferentes materiais: cordas, bancos, caixas, caixotes, pneus, bambolês, mesas, tábuas (você pode utilizá-las para fazer planos inclinados ou pontes), etc.

Convide as crianças percorrerem esse circuito, explorando o espaço de diferentes maneiras: subindo, descendo, agachando-se, arrastando-se, pulando, passando por cima, por baixo, rodeando, equilibrando-se, pulando, passando por pontes e corredores, entrando e saindo de caixas e túneis de diferentes tamanhos, etc.

2ª etapa 

Montar um circuito a partir de ilustrações fornecidas pela professora 
Conforme as crianças se familiarizam com esse tipo de atividade, você pode propor que te ajudem a confeccionar os circuitos. Imaginar possíveis trajetos e diferentes maneiras para percorrê-los é uma forma de antecipar as ações que serão realizadas.

Organize as crianças em grupos de quatro. Entregue para cada grupo uma representação de um circuito que deverão montar. Os desenhos também são meios para a representação de idéias espaciais. Você pode utilizar imagens de livros:

Ou desenhar você mesma um esquema do circuito. Veja os exemplos a seguir:

Esquema de um labirinto 
Em um primeiro momento, proponha que as crianças identifiquem e providenciem os materiais necessários para montar o circuito. Depois, proponha que discutam de que maneira irão percorrê-lo e se há indicações suficientes para essa tarefa.

Por fim, leve-os ao pátio para que montem o circuito e o percorram, verificando assim se suas antecipações foram corretas.

É interessante que você proponha esse tipo de situação algumas vezes. Varie o formato e o tipo do percurso e os objetos utilizados.

3ª etapa 

Representar percursos graficamente 
Exponha as representações utilizadas na etapa anterior e proponha que, em grupos, as crianças conversem e analisem as informações disponíveis nessas representações, observando se as informações fornecidas são suficientes. Oriente-os a discutir quais informações faltam, faça perguntas do tipo: o que fazer quando chega ao colchonete? Como indicar que é para passar por baixo da mesa e não por cima? E quando for para passar por cima, como fazemos? Como saber para que lado será preciso virar?

Depois, socialize as conversas ocorridas e, junto com as crianças, faça uma lista das informações fundamentais desse tipo de representação. Combine com as crianças a utilização de alguns códigos para representar e orientar os os deslocamentos, por exemplo, a utilização de setas e de números indicando a ordem que devem seguir.

Em outro momento, proponha que, em grupos, as crianças desenhem um circuito que deverá ser percorrido por outro grupo. Oriente-os para que discutam e entrem em acordo sobre a produção final, analisando todos os pontos de vista, relembrando as informações listadas que precisarão aparecer nos desenhos. Espera-se que as crianças produzam desenhos como os seguintes:

Avaliação 

Organize uma exposição das produções dos grupos e proponha que as crianças discutam e avaliem se é possível construir um percurso a partir dessas representações. Oriente-as para que observem se os elementos representados contribuem para a eficiência da comunicação (gráfica), quanto maior o número de referências melhor será a descrição do percurso. Questione os sistemas de referência utilizado pelas crianças, faça perguntas do tipo: Quais objetos foram representados? Esses objetos foram representados vistos de cima ou de lado? etc. Discuta a utilização (ou não) das relações de orientação -para frente, para trás, à esquerda, à direita.

A partir dessa discussão, os grupos deverão realizar as alterações necessárias.

Por fim, proponha que cada grupo monte o circuito proposto pelo outro.

Quer saber mais?

BIBLIOGRAFIA
Diseño Curricular para la Educación Inicial
 (niños de 2 y 3 años e niños de 4 y 5 años), Gobierno de la Ciudad Autônoma de Buenos Aires, Secretaria de Educación:
http://www.buenosaires.gov.ar/areas/educacion/curricula/inicial.php
Orientações curriculares: expectativas de aprendizagens e orientações didáticas para Educação Infantil/Secretaria Municipal de Educação - São Paulo: SME / DOT, 2007

 

Créditos:
Priscila Monteiro
Formação:
Formadora do projeto Matemática É D+ da Fundação Victor Civita e coordenadora do Projeto DICA, responsável pela formação em matemática da Rede de São Caetano do Sul
Autor Nova Escola

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.