Aqui você pode pesquisar e adaptar planos já existentes

 


Alimentação e cultura

Publicado por 
novaescola
Objetivo(s) 
  • Reconhecer a importância dos alimentos como fonte de energia e de matéria para a constituição corporal e valorizar atitudes relacionadas à alimentação e à saúde.
  • Oferecer uma visão geral da importância de receber os nutrientes que necessitamos e de como uma alimentação diversificada se faz necessária para atender às nossas necessidades nutricionais.
  • Mostrar que existe um padrão alimentar típico seguido em várias partes do mundo que garante a diversidade e o respeito à cultura alimentar dos povos.
  • Discutir a dieta dos atletas e sua relação com o esporte.
Conteúdo(s) 

Alimentação, valores culturais e saúde.

Ano(s) 
Tempo estimado 
Cinco aulas
Material necessário 

Cartolinas, cópias dos textos de referência, embalagens de alimentos.

Desenvolvimento 
1ª etapa 

Introdução 
O hábito alimentar é um aspecto marcante no estabelecimento de diferenças e semelhanças culturais entre os povos. Esse padrão está relacionado aos recursos ambientais e econômicos, mas também aos nutrientes. A permanência de certos hábitos alimentares é cultural, aprendida e transmitida nos núcleos familiares e nas comunidades, ambiente que hoje recebe grande influência da mídia e da agroindústria.

Pelo lado das ciências, o estudo desse tema pode ser feito de modo que os alunos entendam quais são as principais funções da alimentação e qual a importância dos alimentos para a boa saúde, para o crescimento e para o desenvolvimento humano. Mas essa inerente carga cultural é também uma boa oportunidade de transmitir às crianças a idéia - e exercitar a prática - do respeito à diversidade. Além de fundamentos culturais, os hábitos alimentares de um povo seguem condições ambientais e econômicas que também podem ser abordadas por meio de comparações.

Neste plano de aula, vamos sugerir aos alunos que conheçam um país de hábitos alimentares bem diferentes dos nossos: a Índia. Para dar sentido a essa comparação, é importante desenvolver antes o conceito de nutrição como meio de proporcionar energia e nutrientes e para ajudar no desenvolvimento e no crescimento humano. Vamos então aprender o que é uma alimentação saudável, iniciando com um estudo sobre nossa cultura alimentar.

Primeiras três aulas 
Reúna os alunos numa grande roda e reflita com eles sobre a importância da alimentação. Argumente que a todo momento nosso corpo precisa de energia para andar, correr, falar, estudar até mesmo para dormir. E levante as seguintes questões:
De onde vem essa energia?
O que acontece se nos alimentarmos mal?
O que significa se alimentar bem ou mal?

Organize uma lista de alimentos que a turma considera saudável e não saudável e em seguida convide os alunos para uma pesquisa com o tema O que é uma alimentação saudável. A pesquisa deverá ser elaborada em grupos e, ao final, apresentada em um painel contendo as 10 recomendações da classe para uma alimentação saudável. Oriente a pesquisa fornecendo ao grupo referências como as sugeridas na bibliografia e na lista de sites sobre o tema.

Texto de apoio

Questão de sobrevivência
A alimentação adequada é essencial para mantermos uma vida saudável. Para estar bem nutridos, devemos consumir alimentos variados, de boa qualidade e em quantidades apropriadas. Sem isso, crianças, jovens e adultos não desenvolvem plenamente seus potenciais físicos, intelectuais e emocionais. São os alimentos que oferecem a energia que necessitamos para crescer e para realizar atividades físicas. Além disso, fazem com que as funções básicas do corpo (respiração, funcionamento do cérebro, controle da temperatura, circulação sanguínea e digestão) e o sistema imunológico desempenhem corretamente o seu papel.

 

Solicite aos alunos que, na aula seguinte, tragam embalagens de alimentos consumidos em casa para fazer a leitura da composição nutricional, geralmente impressa nos rótulos. Chame atenção para os tipos de nutrientes que aparecem, como carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas, minerais e também a quantidade de água. Mostre que os volumes variam conforme o alimento.

E quando o produto não vem embalado, como podemos saber a sua composição? Para saber a composição de um alimento in natura, por exemplo, de uma banana, encaminhe os alunos para pesquisa em enciclopédias, livros ou internet. Veja sugestões bibliográficas no final da página. Investigue o conhecimento espontâneo da turma, proveniente da cultura alimentar familiar. Pergunte, por exemplo, o que as famílias consideram importante para a alimentação: comer verduras e frutas, tomar água ou sucos, evitar gorduras? Registre os resultados para futuras comparações.

Reúna os alunos em grupos novamente e apresente novas questões para dar sequência à pesquisa:
O que são e para que servem os nutrientes?
Nós necessitamos de todos eles?
A falta ou o excesso de algum deles pode resultar em problemas de saúde?
Que tipo de problema?
A maneira de conservar o alimento para o consumo é importante? Por quê?

Discuta as questões acima organizando o tempo de acordo com os conhecimentos e necessidades dos alunos. Se possível, faça registro desses conhecimentos para poder verificar alguma mudança de conceitos.

Distribua a ficha informativa O que os alimentos nos proporcionam, sobre a função dos nutrientes. Solicite às equipes que façam um panorama das informações gerais sobre nutrição, incluindo os componentes que fornecem energia (grupo dos energéticos): carboidratos e gorduras. Este grupo está diretamente ligado à dieta dos atletas, mas você também pode ampliar o estudo para os demais grupos. Se puder, organize um cartaz de imagens "apetitosas".

Monte uma transparência com os alimentos pertencentes a esse grupo (ou, se você optar por trabalhar com todos os grupos, uma transparência para cada um) e discuta os nutrientes listados. Peça aos alunos para fazer uma lista do que eles comem num dia comum e observar se estão variando o necessário para a obtenção de todos os nutrientes. Os produtos consumidos têm proteína (construtores), vitamina A (reguladores) e ferro (reguladores)? Caso não tenham, o que poderia ser acrescentado à dieta para obtê-los?

Proponha à coordenação pedagógica um trabalho de aproximação entre as merendeiras ou os responsáveis pela cantina da escola. Convide-os para falar sobre as comidas preparadas por eles e incentive os alunos a levar sugestões do que gostariam de comer. Esse encerramento pode ser a elaboração de um cardápio ideal para a escola.

2ª etapa 

Quarta aula 
Índia - Diferentes costumes, diferentes pratos
Apresente aos alunos imagens de mesas montadas com pratos ou produtos alimentares típicos de diferentes regiões do mundo:

Pasta indiana

Espaguete al pesto

Arroz marroquino

Feijoada

Conduza a observação das imagens mostrando as diferentes combinações. Destaque a imagem da comida indiana e pergunte aos alunos se conhecem algum dos ingredientes utilizados. Distribua a receita de comida indiana para os alunos analisarem conforme a tabela de alimentação apresentada no Momento 1. Pergunte ao grupo que impressão têm sobre a receita. Explique à turma que pessoas em todo o mundo têm distintas formas de comer, mas existe sempre uma combinação com o alimento básico da cultura, por exemplo, o arroz, o trigo, a mandioca. A este, acrescentam pequenas quantidades de acompanhamentos.

Texto de apoio

O amido está em todas
Em cada região do mundo existe um padrão tradicional ou local de alimentação que oferece uma variedade necessária para a saúde e o crescimento. Desse modo, há regiões onde o arroz é o alimento básico. Em outras, a batata, ou ainda ambos. Com o alimento principal, combinam-se diferentes quantidades de vegetais, carnes, legumes (feijão, ervilhas e castanhas), peixes ou aves e molhos e temperos típicos. A alimentação básica ao redor do mundo é tipicamente rica em amido (presente no arroz e em outros cereais, na batata e na mandioca). Os acompanhamentos podem ser vegetais, feijões, ervilha, castanhas, carnes, peixes, ovos ou molhos feitos com estes alimentos. Eles vão fornecer outros tipos de nutrientes necessários para sermos saudáveis.

Nós deveríamos tentar comer alimentos diferentes (variar nosso cardápio) todos os dias. As frutas são sempre importantes, tanto após as refeições como nos intervalos entre elas. Se houver tempo e o professor avaliar que a turma ainda tem fôlego, proponha à turma uma pesquisa sobre os hábitos alimentares dos indianos (receitas, ingredientes, ocasiões em que se come determinado tipo de comida). Monte um grande painel com as informações obtidas e sugira a leitura compartilhada do texto Conhecendo um pouco mais o arroz na índia. Em seguida abra uma discussão sobre as informações trazidas por esse texto.

 

3ª etapa 

Quinta aula 
O alimento dos atletas
Sabemos que os atletas mantêm um rígido controle alimentar. A cada dia, aumenta o conhecimento científico sobre o papel da alimentação no desempenho esportivo e no biotipo que cada modalidade exige. Depois do trabalho sobre aspectos básicos da boa alimentação e sobre a importância dos hábitos alimentares, introduza um questionamento sobre as refeições de uma pessoa que tem uma rotina normal e de uma que pratica muita atividade física.
1. Quando se pratica esporte, a alimentação é a mesma do dia-a-dia?
2. Os atletas têm alimentação diferenciada?
3. Quais fatores devem ser considerados na alimentação de um atleta?

Apresente duas imagens de atletas olímpicos:
 
Lutadores de sumô

Jogadora de vôlei

Converse com os alunos mostrando que a alimentação pode influenciar de forma positiva ou negativa no rendimento de um atleta. Por isso, ele precisa de orientação não apenas para melhorar a sua capacidade, mas também para proporcionar boa saúde a longo prazo. Ao ser elaborada uma dieta para o desportista, vários fatores devem ser observados, como o tipo de desporto, a idade, o sexo, sua formação cultural, o clima, a temperatura média, e a altitude do local onde mora e treina e onde vai competir, as suas condições socioeconômicas e fatores individuais (por exemplo, se é uma pessoa mais agitada ou mais calma).

Percebe-se, dessa forma, que não se pode falar numa dieta de esporte, mas na dieta de cada atleta. Os princípios básicos para uma correta alimentação do desportista, portanto, implicam na satisfação das necessidades energéticas e plásticas, por meio do fornecimento adequado de componentes de todos os grupos alimentares e na correta distribuição desses alimentos pelas dietas de treino, de competição e de recuperação. Para encerrar, sempre é bom lembrar aos alunos que a prática de esportes é importante, mas que é preciso se informar sobre a alimentação adequada. Veja o que diz uma especialista no assunto.

Quer saber mais?

INTERNET 
Consulado Geral da Índia - São Paulo
O site da Sociedade de Oliericultura do Brasil traz receitas com produtos naturais, informações sobre o uso de plantas naturais, as propriedades nutricionais de verduras e legumes em geral.

BIBLIOGRAFIA
Guia prático da vida saudável, Stephen Carroll e Tony Smith, 320 págs., Publifolha, 11 3224-2186 , edição esgotada.
Human Nutrition, Benjamin Burton, 605 págs., McGraw Hill Trade, edição esgotada. 

Autor Nova Escola
Créditos:
Sueli Ângelo Furlan
Formação:
Professora de Ciências e de Geografia

COMPARTILHAR

Alguma dúvida? Clique aqui.